ALMAR Assoc. Cívica de Almada

A Câmara Municipal de Almada é uma parceria fundamental para que o poder local, em sintonia com a sociedade civil, consolide o futuro de todo um concelho com base num potencial infinito de valores.
Pela cooperação e pelo diálogo com a CMA, definem-se melhor os objectivos que são comuns e que assim se tornam mais fáceis de alcançar. Como prova transcrevem-se, a seguir, as palavras do Presidente da Almar. após a última reunião com o Presidente da CMA e o Vereador da Educação, Cultura, Desporto, Juventude e Turismo.


 

Realizou-se no passado dia 16 de Maio a reunião com a CMA solicitada pela ALMAR.


Estiveram presentes o Sr. Presidente da CMA, Dr. Joaquim Judas, o vereador António Matos, Luís Serra e José Gonçalves da ALMAR e Carlos Dias do restaurante Galeria como representante da Comissão de Iniciativa para o Turismo de Almada.


A reunião tinha como objectivo conhecer o parecer da CMA sobre a importância, a urgência e o seu papel nas concretização das acções que resultaram do congresso “Almada Entre Mares” e que se consideram indispensáveis para a criação das condições favoráveis ao desenvolvimento do turismo no concelho. Foi uma reunião afável e que revelou a existência de sintonia entre as partes, nos aspectos essenciais que faziam parte da agenda de trabalhos.


Relativamente aos aspectos referentes à Costa da Caparica, fomos informados do andamento dos trabalhos e das negociações em curso e que corroboram o que tem vindo a lume, com alguma frequência, nos órgãos de comunicação.


Valerá a pena realçar a questão da reposição da areia nas praias no que respeita às dúvidas quanto à data de início da frente urbana, ficando para mais tarde a zona de S. João. A APA não consegue precisar a data de início. Porém os trabalhos poderão ser acelerados pelo facto de apenas existirem dois candidatos à sua execução.

 
O parqueamento também irá ser facilitado estando prevista a criação de um parque de estacionamento à entrada da Costa, no final da A38 e do lado direito, junto ao entroncamento com a Av. Afonso de Albuqerque.


A limpeza das dunas e das praias foi antecipada 15 dias em relação à data normal e para o ano que vem a limpeza iniciar-se-á no dia um de Abril.


Quanto a Cacilhas, foi realçada a importância do restabelecimento da ligação fluvial entre o Terreiro do Paço e Cacilhas, como elemento indispensável ao desenvolvimento do concelho. Fomos informados de que esta questão ainda não foi abordada, muito embora a CMA veja com bons olhos o início do diálogo com a Transtejo sobre este problema. Como posição de fundo foi afirmado haver abertura para a criação de carreiras fluviais de operadores privados que transportem grupos de turistas interessados nos valores turísticos do concelho e em particular os de índole religioso.


Foi também reconhecida a necessidade da tomada de medidas para racionalização do estacionamento de automóveis e do parqueamento de autocarros no Largo Alfredo Diniz, tendo em vista apresentar ao turista que visita o concelho um espaço minimamente desafogado e digno para além de contribuir para dinamizar o núcleo museológico de Cacilhas, cujo acesso actualmente se apresenta incompreensível. 


Quanto ao plano de mobilidade e tendo também em vista cativar o desejo de explorar o concelho por quem nos visita, estão previstas alterações que julgo irão melhorar não só as condições de circulação no eixo central de Almada e nas áreas adjacentes, mas também o estacionamento. Destacamos, por ter sido considerado relevante para o turismo religioso, o acesso ao Cristo-Rei passar a ser feito pela Av. D. Nuno Alvares Pereira.O restabelecimento desta nova situação está prevista ainda para o corrente ano.


No que respeita à sinalética existente foi reconhecida a sua ineficiência e a necessidade de proceder ao seu ordenamento e melhorá-la. O caso do Porto Brandão foi considerado um exemplo de absoluta insensatez.


Os circuitos de transporte para o turista, que ligue os principais pontos turísticos de Almada, e a recuperação do Transpraia, partindo da frente junto à Rua dos Pescadores, foram temas igualmente abordados, tendo o Sr. Presidente mostrado disponibilidade para facilitar a criação de empresas partindo da iniciativa privada. 


Outros assuntos como sejam a remodelação do largo das tábuas na Costa de Caparica, a melhoria do passeio marítimo na Costa da Caparica em termos de segurança, iluminação e limpeza, bem como as necessárias melhorias dos apoios de praia no que se refere a lava-pés e duches para o público que sai da praias, com excepção do primeiro, que irá ser exigido à comissão liquidatária do Polis pois o investimento e a responsabilidade é daquela entidade, os restantes são igualmente considerados necessários, mas dependem da disponibilidade financeira do município, pelo que admitimos não serem exequíveis durante esta época balnear.


Atendendo à extensão da agenda de trabalhos muitos outros assuntos não estão expressos neste relatório síntese, que obviamente dá apenas conhecimento das questões mais relevantes.


Porém a Almar está à vossa disposição para quaisquer pedidos de esclarecimento que considerem necessário para a vossa actividade, disponibilizando sempre que possível a informação requerida.


Esperando continuar a dispor da vossa confiança para dar continuidade a este projecto inovador, por que assenta numa iniciativa cujo motor integra uma grande diversidade de empresas de natureza absolutamente distinta e representativas do concelho, despeço-me com amizade
                                                                                                                                                                                  José Gonçalves Ferreira